06/10/2007

Efemeridade

Não penso nos passos desconexos que risco na estrada dos dias cinzentos, azuis, arco-íris percorridos a esmo. Sou nômade nos desertos que me perfazem, também oásis que nutri após estiagem voluntária. Autofágica, mato e ressuscito vontades insaciáveis; degusto o querer para comer o prazer. Por vezes, nem sei onde estou - se nos bancos de areia de meus ângulos ou nas ilusórias plataformas que encontro na paisagem insólita que me figura. Como miragem, riachos umedecem fissuras da carne, irrigam o viço e atiçam a vastidão das retinas. Revigorada, vislumbro a linha de meu horizonte, sigo a desenhar caminhos fugazes nos grânulos arenosos, partículas elementares de meu corpo. Duna, nunca alcanço meu contorno - linha divisória do início e fim dessa jornada interior, fronteira imaginária. Fugaz e transitória, no momento em que me vejo, já me perdi


de mim.


24 comentários:

maria josé quintela disse...

belíssimo texto!

Erika disse...

perdida e completamente achada, Fe...

sua palavras encontra a nossa alma lá dentro...escondida.

beijos

o amnésico disse...

Um viva às mulheres e homens das duna! Que voltem a guiar as caravanas da humanidade, perdidas no deserto das ilusões...

Maravilhoso texto, mais uma vez!
Posso ter sua prosa (e poesia) na minha mesa de cabeceira?

Beijo.

p.s. Seu comentário foi direto ao ponto: o ciclo, sempre igual, sempre novo (certas almas são euclidianas e se iludem com linhas retas, mas o existir é e sempre será curvo como a gota d'água, o crescente da Lua, a luz das artérias...)

o amnésico disse...

Inspiração na veia, minha cara (aprendendo com que sabe)!

Espero ver essa falta corrigida o mais breve possível!

Beijos!

E acredite, o prazer é meu!

Márcio Hachmann disse...

São nessas dunas que eu quero me perder, inteiramente.

Maria Regina disse...

Se desencontrando é que realmente nos achamos...
Adorei!
beijos

ro disse...

Uia !!!

O Profeta disse...

E fecha-se o pano...aplausos...gostava de encenar as tuas emoções...


Doce beijo

Poliedro disse...

Simpática Amiga:
Belo e puro versejar num terno conjunto de palavras sublimes.
Adorei a simbologia real do seu sentir. A descoberta si própria e do seu maravilhoso pensar efémero que cativa e encanta.
Lindo!!!
Beijos Grandes
pena

Van disse...

Fã!
Também das prosas.

Beijucas

Jens disse...

Oi Fernanda.
Vim aqui fugindo do Poesia na Veia - é muito difícil comentar poesia, ainda mais versos tão audaciosos e verdadeiros como os teus (e pensar que entre nós foi um homem, Chico Buarque, que abriu este caminho...).
Bem, vim aqui presumindo que teus textos em prosa não seriam tão provocantes, seriam mais fáceis de comentar.
Mas porra, poesia em prosa? Não dá. Você está muito louca.
Doravante, tanto aqui como lá, só vou aparecer e dizer "Oi", para registrar que estou lendo, fruindo, admirando... Quando doer ou extasiar demais eu aviso.
Um abraço e um beijo

Ácido Poético disse...

Perder-se também é um caminho...

Sds,
Brunø

PAULO SANTOS disse...

Qual acordos luso-brasileiros...Nos precisamos é da força do desejo e da paixão!!!!
Tão facil a gente entender-se!!!!!!!!!!!!!!!!
Fantastico este texto!
Roubo nele pedaços para mim!!!!!
Amei (sem ironia!!!)

Paulo

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel bir site.

Bion disse...

Adorei!!! Saudades de te ler... o tempo tem carregado meus dias com todos seus minutos cheios.

Mas vim aqui pra dizer que não abandonei minha leitura noturna. =)

E esses textos sempre tão profundamente complexos...

benechaves disse...

Oi, menina, que bela imagem! E o texto, nem se fala. Melhor ainda. Principalmente o seu arremate.

Um beijo singular...

ACANTHA disse...

Eu seria duna. E seria feliz.. Lindo Fernanda.. Mas estou me repetindo muito, né não???

alex sens disse...

uau. perder-se é muito bom de vez em quando, né? esta coisa de autofagia é ótima, tua escrita é intensa. borbulha, e eu não perco estes blogs por nada :) go on.

beijos!

Juliana Cintra disse...

Nossa, quantas imagens Fer, fez-me viajar para o além do real...demais!!

Sou sua fãzona!!!ehehe

bjux linda!

Dilean de Bragança disse...

Que delícia seu espaço.
Parabéns!!
Bjus na alma.

Poliedro disse...

Simpática Amiga:
Sinceramente, não creio que se tenha perdido de si e do seu maravilhoso Ser. Tem uma imensa significação. Encanto!
Selecciona palavras abrangentes que fazem parte integrante do seu puro existir grandioso.
tem sentimentos muito significativos de pureza no seu peculiar sentir.
Adoro ler os seus textos poéticos arrojados, mas belos que cativam.
O contexto da sua escrita reside na fluidez de uma escrita pura e bela muito rara.
Beijos de amizade e estima


pena

O Profeta disse...

Passei para te deixar um beijinho...

Bina Goldrajch disse...

Lindo!



Linda!

Sol Noturno disse...

hum... voltei aos poquinhos e gostei daqui tbém
beijos